top of page

Evonik Entrega Resultados Robustos em Conjuntura Difícil

EBITDA ajustado cresceu 4% para 2,39 bilhões de euros.

Perspectiva para 2023: EBITDA ajustado entre 2,1 e 2,4 bilhões de euros

Até 2030, toda a eletricidade adquirida virá de fontes renováveis


Após um ano de 2022 desafiador, a Evonik está cautelosamente otimista para 2023. “Os efeitos da guerra, da inflação e de preços de energia altamente flutuantes exigiram muito de nós – e ainda exigem”, diz Christian Kullmann, Presidente da Diretoria Executiva da Evonik. “Ainda assim, conseguimos entregar o melhor resultado operacional dos últimos dez anos. A Evonik está bem posicionada para enfrentar tempos difíceis e esse trunfo nos será de grande valia no ano em curso”.


O ano passado foi caracterizado por seis meses iniciais de muito sucesso, seguidos de um segundo semestre bem mais difícil. No geral, as vendascresceram 24% para 18,5 bilhões de euros. Os volumes apresentaram ligeira queda e os preços das matérias-primas e da energia subiram acentuadamente em alguns casos. A Evonik conseguiu repassar a maior parte dos aumentos de preços. As receitas ajustadas antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA ajustado) aumentaram 4%, situando-se no limite inferior do intervalo de previsão de 2,5 a 2,6 bilhões de euros. Fechando em 2,49 bilhões de euros, o valor foi o maior desde 2012.


O resultado líquido recuou, sobretudo devido à amortização do ágio da divisão Performance Materials no valor de 301 milhões de euros. O resultado líquido ajustado cresceu 7% para 1,05 bilhão de euros.


O fluxo de caixa livre atingiu 785 milhões de euros, o que corresponde a uma taxa de conversão de caixa de 32%, ligeiramente acima da meta que a Evonik havia ajustado para 30% durante o ano. “As duas conjunturas empresariais muito distintas do primeiro e do segundo semestre de 2022 dificultaram a gestão dos estoques para nós”, conta Ute Wolf, CFO da Evonik. “No final do ano, concentramos nossos esforços nessas questões, o que se mostrou muito acertado, haja vista o forte fluxo de caixa livre do último trimestre.


Na reunião anual geral de acionistas a ser realizada em 31 de maio, a diretoria executiva e o conselho de administração da Evonik vão propor um dividendo anual inalterado de 1,17 euro por ação. Isso representa um atraente rendimento de dividendos de 5%.


Apesar das inúmeras incertezas, a Evonik está cautelosamente otimista em relação a 2023. Muito vai depender do nível sustentável de abrandamento dos preços da energia e da inflação, bem como do poder de recuperação da economia global, especialmente no que respeita à China. No primeiro trimestre de 2023 em especial, a tendência negativa do segundo semestre de 2022 provavelmente se manterá. A partir do segundo trimestre, no entanto, a situação deve melhorar gradativamente.


Para 2023, a Evonik projeta vendas entre 17 e 19 bilhões de Euros. O EBITDA ajustado deve ficar entre 2,1 bilhões e 2,4 bilhões de euros. Na comparação com o ano anterior, a esperada resiliência das divisões Specialty Additives e Smart Materials e da linha de Health Care será confrontada com um declínio nos ganhos das linhas de negócios Animal Nutrition e Performance Intermediates, motivado sobretudo pelos preços. O fluxo de caixa livre deverá aumentar e a taxa de conversão de caixa deve melhorar em direção à meta de cerca de 40%. “Nosso intervalo de previsão é mais amplo que no ano passado em razão das atuais incertezas. Estabelecemos metas ambiciosas e pretendemos cumpri-las por meio de esforços conjuntos”, diz Kullmann. A esperada redução de custos de 250 milhões de euros deverá contribuir para os resultados projetados.


Portfólio, sustentabilidade, inovação


Apesar do cenário difícil, a Evonik segue avançando em sua transformação rumo à sustentabilidade e à lucratividade. “Estamos sistematicamente focando nossos investimentos em mercados de crescimento sustentável e desinvestindo em negócios cíclicos”, informa Kullmann. “Nesse contexto, a venda do nosso parque químico de Luelsdorf será a primeira etapa na planejada alienação das áreas de negócio da nossa divisão Performance Materials. As negociações relativas à venda do referido parque estão em estágio avançado.


Em paralelo aos planejados desinvestimentos, a Evonik está fazendo investimentos direcionados em seis áreas definidas de crescimento em inovação que prometem altos retornos. E os efeitos já são evidentes: as vendas nessas áreas de crescimento em inovação subiram mais de 20% no ano passado para 600 milhões de euros. “Esses produtos apresentam alto potencial de crescimento e margens acima da média”, afirma Harald Schwager, Chief Innovation Officer na Evonik. Nosso objetivo é claro: queremos gerar vendas no valor de um bilhão de euros com esses produtos inovadores até 2025 – e estamos bem encaminhados para isso”.


Os novos produtos reforçam o perfil de sustentabilidade da Evonik. A participação das Next Generation Solutions, i.e., produtos que oferecem um benefício de sustentabilidade mais alto aos clientes na comparação com alternativas comuns, aumentou para 43% das receitas no ano passado. “A Evonik estabeleceu o objetivo de investir um valor superior a três bilhões de euros no crescimento das chamadas Next Generation Solutions até 2030 a fim de aumentar a sua participação para mais de 50%”, diz Thomas Wessel, que é o responsável pela sustentabilidade na Diretoria Executiva da empresa.


Outra etapa importante na transformação sustentável é a rápida conversão do abastecimento de energia. Em razão dos contratos de compra de energia de fonte eólica, a partir de 2026 mais da metade da eletricidade que a Evonik vai adquirir de fornecedores externos será de origem renovável. A partir de 2030, a Evonik comprará exclusivamente eletricidade verde.


Em parte para gerenciar riscos geopolíticos, a Evonik distribui seus investimentos no desenvolvimento de novos produtos em suas três regiões principais. Por exemplo, em Xangai a empresa inaugurou uma nova central de pesquisa para baterias de lítio-íon; no Japão, está ampliando a capacidade de produção de alumina para o mercado de baterias; na Eslováquia, está construindo uma unidade de produção de surfactantes biodegradáveis; e nos Estados Unidos, está prestes a iniciar a construção de uma unidade de produção de lipídios farmacêuticos para medicamentos que têm como base o mRNA.


Desenvolvimento nas divisões químicas


Specialty Additives: No geral, a divisão registrou um ótimo avanço. As vendas cresceram 13% para 4,18 bilhões de euros em resultado de preços de venda significativamente mais altos, sobretudo devido ao repasse do aumento nos custos das matérias-primas e de efeitos cambiais positivos. Aditivos para espumas de poliuretano para aplicações em bens de consumo duráveis e na indústria automotiva geraram vendas mais altas a preços melhores. Produtos para as indústrias da construção e de coatings e para energias renováveis também se desenvolveram de maneira positiva. O EBITDA ajustado subiu 3% para 946 milhões de euros.


Nutrition & Care: As vendas na divisão Nutrition & Care cresceram 19% para 4,24 bilhões de euros. O aumento se deveu a preços de venda significativamente mais altos para compensar o aumento dos custos e também a efeitos cambiais positivos. O volume das vendas caiu. A Evonik registrou crescimento significativo nas vendas de aminoácidos graças a melhores preços de venda. Os volumes baixaram, principalmente devido à demanda volátil na Ásia, com os lockdowns devido ao Coronavírus na China pesando sobre os negócios. Na indústria da alimentação animal, a redução mundial dos estoques resultou no declínio dos preços de venda, apesar dos contínuos altos custos da matéria-prima. As vendas de produtos para o cuidado da saúde e da beleza aumentaram significativamente graças à forte demanda por ingredientes ativos para aplicações cosméticas. O EBITDA ajustado caiu 6% para 677 milhões de euros.


Smart Materials: As vendas da divisão Smart Materials cresceram

23% para 4,83 bilhões de euros. O incremento se deveu a preços de venda significativamente mais altos em razão do repasse do aumento nos custos das matérias-primas e também a efeitos cambiais positivos. Os volumes vendidos ficaram estáveis. As vendas tanto de produtos inorgânicos quanto de polímeros aumentaram graças à alta nos preços de venda, com os volumes se mantendo praticamente inalterados. O EBITDA ajustado subiu 5% para 684 milhões de euros.


Performance Materials: As vendas na divisão Performance Materials melhoraram 26% para 3,66 bilhões de euros. Preços significativamente mais altos e efeitos cambiais positivos contribuíram para o aumento, embora os volumes tenham declinado de maneira perceptível. Os volumes da atividade com produtos do C4 Verbund apresentaram queda enquanto as receitas aumentaram em razão da melhora nos preços de venda. O negócio com alcoolatos se beneficiou dos necessários aumentos nos preços. As vendas de superabsorventes também aumentaram, beneficiando-se adicionalmente da melhora nas condições de mercado. O EBITDA ajustado subiu 29% para 409 milhões de euros.








Informações da Empresa

A Evonik é uma das líderes mundiais em especialidades químicas. A empresa atua em mais de 100 países no mundo inteiro. Em 2022, registrou vendas de 18,5 bilhões de euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de 2,49 bilhões de euros. A Evonik vai muito além da química para criar soluções inovadoras, lucrativas e sustentáveis para seus clientes. Cerca de 34.000 colaboradores trabalham juntos em prol de um objetivo comum: melhorar a vida das pessoas hoje e no futuro.

bottom of page